Rio das Ostras . Net



twiiter RSS FEED 2.0 facebook
303x130 painelMobile costazul area

Rio das Ostras acompanha saúde da população para controle da obesidade

Pesquisa divulgada pelo IBGE demonstra que excesso de peso é um problema no Brasil

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE divulgou na última semana que metade dos brasileiros está acima do peso. Atenta a essas mudanças no perfil da população, a Secretaria de Saúde de Rio das Ostras oferece acompanhamento nutricional aos moradores, com atendimento diferenciado a pacientes com obesidade grave. A Secretaria de Educação também se preocupa com a manutenção do peso ideal dos alunos da rede municipal, por meio do acompanhamento de nutricionistas e incentivo aos hábitos saudáveis de vida.

 Segundo levantamentos da Área Técnica de Alimentação e Nutrição - ATAN, da Secretaria de Saúde, a porcentagem de moradores adultos de Rio das Ostras acima do peso passou de 35%, em 2006, para mais de 40%, em 2009. A pesquisa do ano passado também apontou que mais de 30% da população adulta estava obesa.

“Nosso principal objetivo é conscientizar as pessoas da importância da alimentação saudável e do risco do excesso de peso; associado à hipertensão, diabetes, doenças cardíacas... Com a correria da vida moderna, as pessoas mantêm uma alimentação inadequada e deixam de fazer atividade física”, explica a nutricionista Mônica Almeida, da Secretaria de Saúde.

         Dados da Prefeitura mostram que a principal causa de mortalidade na população de Rio das Ostras são as doenças do aparelho circulatório (26,7%). Além disso, mais de 600 novos pacientes são inscritos anualmente no Programa Municipal de Atenção à Hipertensão e Diabetes – Hiperdia. Esses índices estão relacionados, entre outros fatores, ao aumento de peso e sedentarismo.

Entre os serviços da ATAN está o Grupo de Transtornos Alimentares e Obesidade Severa, que se reúne no Centro de Saúde de Nova Cidade. Os pacientes são atendidos individualmente e de forma coletiva, por nutricionistas e endocrinologistas e recebem apoio psicológico, inclusive preparação para a cirurgia bariátrica (redução de estômago), quando necessário.

“A pessoa obesa, na maior parte dos casos, quer uma solução rápida para o problema e já pensa em cirurgia para perder peso. Porém, a operação deve ser o último recurso, em casos realmente necessários. A educação alimentar e a atividade física regular dão bons resultados”, explica Mônica Almeida.

EDUCAÇÃO ALIMENTAR - A Área de Nutrição também atua em parceria com a Secretaria de Educação no monitoramento dos alunos da rede pública. Nutricionistas verificam, periodicamente, peso e altura e avaliam os hábitos dos alunos. O objetivo é conhecer o perfil nutricional dos estudantes, desenvolver atividades educativas e encaminhar os casos que necessitem de atendimento para as unidades de saúde.

O trabalho registra que entre as crianças e jovens da rede municipal, cerca de 12% estão com sobrepeso e 6% já estão obesas. A boa notícia é que, com as ações educativas e a merenda saudável nas escolas, o número de alunos obesos vem caindo gradativamente.

ÁREA DE NUTRIÇÃO – Os profissionais da Área Técnica de Alimentação e Nutrição, sob a coordenação da nutricionista Regina Glória Ramos, atuam nos postos de saúde, Hospital Municipal e Pronto Socorro. Além das ações já mencionadas e atendimento ambulatorial, a Área é responsável também pela orientação dos pais quanto ao aleitamento materno. Existe ainda atenção específica àqueles que necessitam de suplementação alimentar, como portadores de DST/AIDS, idosos e acamados.



FONTE:
Secretaria de Comunicação Social
Departamento de Jornalismo

Imprimir Email