Rio das Ostras . Net



twiiter RSS FEED 2.0 facebook
303x130 painelMobile costazul area

Alunos de Rio das Ostras discutem preconceito e intolerância em evento

Feira Literária se uniu ao Programa Saúde na Escola, celebrando os cinco anos do “Educar pela Paz”

Buscando a reflexão dos alunos, de forma lúdica, a Escola Municipal Maria Teixeira de Paula promoveu a Feira Literária Africanidade, no último sábado, 14. O evento se uniu ao Programa Municipal Saúde na Escola, que celebrou os cinco anos do projeto “Educar pela Paz”, parceiro do programa, que promove a cultura antiviolência por meio da dança e arte de rua.

Na Feira, os alunos apresentaram trabalhos que resultaram de debates ocorridos nos últimos três meses, sobre temas como intolerância religiosa e preconceito racial.

O evento incluiu apresentações de dança, teatro e exposição de desenhos. Os estudantes aprenderam que  cerca de 80% das palavras  usadas pela população brasileira têm origem africana, assim como costumes culturais, como a capoeira e hábitos alimentares, como explicou o professor de Linguagem de Sinais, Alexandre Veloso.

A diretora Valéria Almeida explicou que os estudantes abraçaram o projeto, discutindo entre eles posturas negativas que podem se tornar cotidianas, como o racismo.

“A ideia surgiu após um desentendimento na escola, entre estudantes, envolvendo a questão racial. E uma das missões da escola é combater o preconceito e a intolerância. O problema atraiu os estudantes para essa luta. Lembrando que trazer os pais para perto da escola tem ajuda muito no resultado positivo”, concluiu a diretora.

A estudante Marcelle Lopes, mãe de duas alunas da escola Jenne Lopes, 11 anos, e Glauce Batista, de 8 anos, defende a presença dos pais na escola para acompanhar o desenvolvimento dos filhos.

“É muito importante esta parceria, entendo que a educação tem que ser formada  em casa e a escola é responsável pelo ensinamento”, finalizou.

A estudante Gleicey Hillin, 13 anos, aluna do 8º ano, contou que já sofreu preconceito porque faz questão de manter o cabelo crespo natural, “autêntico”, como ela diz.   

“O preconceito machuca, mas estou superando. Precisamos respeitar nossa origem e nos aceitar. Dessa forma, seremos mais felizes”, opina a aluna.    

EDUCAR PELA PAZ-  O evento também celebrou os cinco anos do Projeto Educar Pela Paz, parceiro do Programa Saúde na Escola, desenvolvido pelas secretarias de Educação e de Saúde em Rio das Ostras. A programação incluiu uma apresentação de hip hop, na escola, além de uma arte em grafite no muro da unidade de ensino.

À frente do Educar pela Paz está MC Natan, que, por meio da dança e arte de rua, vem mobilizando jovens da cidade e propagando o respeito, amizade, amor e paz.

O trabalho comemora bons resultados, como no caso do aluno Matheus Araújo, da Escola Municipal Francisco de Assis, que foi aluno do projeto e agora oferece aula de grafite para crianças e jovens.

Os integrantes do projeto  já se preparam  para fazer apresentação de dança e oferecer oficinas no Japão e na Finlândia, em 2016.

 

FONTE:

Secretaria de Comunicação Social
Departamento de Jornalismo

Imprimir Email